Pilarzinho vence o Nova Orleans no primeiro jogo da decisão da Suburbana (Foto: Fernando Freire)

Pilarzinho vence o Nova Orleans no primeiro jogo da decisão da Suburbana (Foto: Fernando Freire)

Em um jogo quente, com brigas, desmaios e bolas na trave, o Operário Pilarzinho venceu o Nova Orleans por 1 a 0 na tarde deste sábado, no estádio José Drulla Sobrinho, pelo jogo de ida da final da Suburbana – principal campeonato amador de Curitiba.

O atacante Erlon, de voleio, marcou o gol da vitória tricolor. O jogo de volta será no próximo sábado, às 16h30 (horário de Brasília), no Estádio Bortollo Gava.

Se o Orleans vencer, será realizada uma terceira partida. Já o Pilarzinho pode soltar o grito de campeão se pelo menos empatar.

Apesar de ser um jogo do campeonato amador, os jogadores entregam-se ao máximo para buscar o título. Para alguns, a competição é uma porta para o futebol profissional. Para outros, a Suburbana significa apenas uma renda a mais. O duelo entre Pilarzinho e Orleans é uma decisão histórica. De um lado, o Pilarzinho, que jamais ergueu a taça. Do outro, o Nova Orleans, que há 20 anos não comemora o título da Série A.

Ao contrário do futebol profissional, na Suburbana é comum jogadores e torcedores comemorando juntos. A segurança é quase mínima – o policiamento, por exemplo, chegou nos minutos finais do segundo tempo.

Mas, para quem é apaixonado, o importante é acompanhar seu time em todos os bairros da cidade. Além disso, os torcedores não têm o conforto dos estádios. Arquibancadas são artigo raro e, na maioria das vezes, o que separa os fãs do campo são apenas grades. Outra diferença: no futebol amador, cerveja e sinalizadores são liberados.

Pilarzinho leva vantagem para casa

A decisão da Suburbana começou em clima tranquilo. Mas bastaram alguns minutos para que o nervosismo tomasse conta das equipes. O Nova Orleans jogava em casa e começou melhor. Porém, o Operário Pilarzinho precisou de apenas dois lances de bola parada para mostrar o porquê é um dos finalistas. No primeiro, o camisa 8, Molão, acertou o travessão. Na segunda oportunidade, Erlon abriu o placar com um gol de voleio após Bitoca cobrar o escanteio.

Atendimento é feito na base do improviso, mas jogadores voltam para o duelo (Foto: Fernando Freire)

Atendimento é feito na base do improviso, mas jogadores voltam para o duelo (Foto: Fernando Freire)

Depois do gol, o time do Orleans até tentou, mas o goleiro Jura estava inspirado e fez grandes defesas, salvando o Tricolor. No último lance da primeira etapa, Rodrigão, do Operário Pilarzinho, e Igor, do Nova Orleans, chocaram-se forte na entrada da área, mas o árbitro Lucas Paulo Torezin nada marcou e encerrou o primeiro tempo. Uma briga generalizada começou. Dirigentes e jogadores das duas equipes trocaram empurrões, mas, no final, ninguém foi expulso.

Já com os ânimos acalmados, os times voltaram a campo para a segunda etapa. E, logo no primeiro lance, Jura e o atacante Ederson caíram no gramado desmaiados após um choque de cabeça. Na base do improviso, os massagistas realizaram o atendimento, e ambos voltaram para o confronto.
Os mandantes foram melhores na etapa fina, porém, o empate não veio por questão de sorte. Pois, na última oportunidade da partida, Buiu, de fora da área, acertou o travessão.

O segundo – e talvez último – jogo da final da Suburbana será no próximo sábado, dia 13, às 16h30, no Pilarzinho. O Orleans precisa de uma vitória por qualquer resultado para adiar a decisão. O Pilarzinho será campeão de forma inédita se não perder.

Fonte – Site GLOBO ESPORTE – Fotos de Fernando Freire